“DESTRUIDORA DE LAR – GATUNA DE MARIDO” POR:Psic. Marisa dos Santos

PorGelson Daniel

“DESTRUIDORA DE LAR – GATUNA DE MARIDO” POR:Psic. Marisa dos Santos

Uma abordagem holística sobre o termo “Destruidora de lar”

POR: PSIC. MARISA DOS SANTOS

Crescemos a ouvir esse termo na nossa sociedade, e sabemos que nossos pais também já herdaram essa fraseologia dos nossos avós, que até já parece fazer parte das transmissões de certa forma cultural, que são os ensinamentos passados de geração a geração. Não podia trazer essa abordagem sem anexar na introdução o conceito de lar.

  • O que define um lar?

  • Casa é sinônimo de lar?

 

Pois bem, o termo lar é usado muito comumente pelas pessoas para descrever o local onde vivem, e que está intimamente associado a sensação de segurança, conforto, pertença e calma. Além de ser lugar onde há amor, apoio, respeito, construção de valores, partilha e transmissão de história da família . Diferente dos lares de acolhimento de crianças órfãs, idosos, onde se presta assistência social, emprestando um ambiente acolhedor de um lar, recriados o ambiente de um lar ,com assistência de profissionais como, professores, psicólogos, enfermeiros,médicos e assistentes sociais.

Como vimos no conceito de lar , ele está relacionado a família. Agora vamos então falar sobre o conceito de família? Mas prefiro poupar-vos daquela definição segundo a religião, porque teria de ser mais extensiva, e distanciar-me do contexto. Vamos ao foco?

Qual é o conceito de família?

Juridicamente a família é o conjunto de pessoas unidas pelos laços de afectividade, do matrimônio e da filiação,ou seja, unicamente os cônjuges e a prole.
A família é o espaço educativo por excelência, considerada o núcleo central do desenvolvimento moral, cognitivo,e afetivo no qual se criam, e educam as criança ao proporcionar os contextos educativos indispensáveis para cimentar a tarefa de construção de uma existência própria.

A família é também o espaço histórico e simbólico no qual se apoiam, amam, cuidam,e se desenvolve a divisão de tarefas. Prefiro não falar da definição da família natural constituída por pai ,mãe e filhos. A semelhança do que se passa nas outras sociedades, embora mais tarde, a família em Angola tem sido objeto de profundas mudanças, fruto de aspectos tão diversificados que decorrem do econômico,do social,do político,da organização do trabalho e emprego,do jurídico, da cultura,da religião e das mentalidades.

Tais mudanças deram origem aos diferentes tipos de família,como: Família Monoparental, Família matrimonial,família anaparental, Família mosaico, Família alargada entre outros tipos. Mas vamos para o foco , que é melhor!

Percebemos que os cônjuges são chamados a exercer responsabilidade para o funcionamento do núcleo familiar,e consequentemente a articular as suas habilidades para evitar ao máximo que se dissolva esse núcleo familiar.

Agora chegamos ao início da questão fulcral da abordagem. Vejo-me conduzida a colocar a seguinte questão.

Pode alguém estragar um lar ,se não pertence ao mesmo?

Ou devo colocar a questão de forma diferente!
De quem é a responsabilidade de preservar o lar,se não dos seus membros?

Tais questões trazem reflexões sobre o posicionamento dos verdadeiros donos dos lares, homem e mulher, mulheres e homens. E consegue-se fazer um Raio X comportamental de forma analítica dos envolvidos neste conseito “estragar lar” .

Conclui-se que os personagens estão invertidos, visto que a ausência de responsabilidade afetiva, a falta de respeito aos membros da família,a falta de consideração, a diminuição da atenção parental, a infedelidade, a alteração de humor, o desiquilíbrio emocional, a negligência aos cuidados dos filhos, esses ,e outros agentes estressores não podem ser causados por alguém extra lar, sem que haja a participação do membro desse mesmo lar.

É necessário que haja uma visão real da problemática e se retire o estereótipo padronizado e generalizado em torno desta fraseologia
“ESTRAGAR LAR”, estigmatizando mulheres que muitas vezes são vítimas de um cenário ilusório, e sofrem a consequência da pressão social , que em alguns casos leva a desenvolverem quadro depressivo.

Lares felizes, pessoas saudáveis NINGUÉM ROUBA O MARIDO …

Cuidar do clima emocional do nosso lar é a chave para se desenvolver como pessoa, se sentir bem e receber todos os benefícios de uma vida em família.

O lar é o lugar onde podemos ser “nós mesmos”. Entretanto, há um grande perigo, o do “vale tudo”. Com a confiança e com os hábitos, podemos negligenciar certos princípios como solidariedade e respeito.

É extremamente importante manter em nossa casa a cordialidade, o respeito, o autocontrole e a bondade. A inteligência emocional está enraizada em nosso lar e é a melhor garantia de uma vida feliz.

 

A inteligência emocional é muito importante, principalmente quando temos crianças em casa. Elas são as que mais sofrem com os conflitos. Por essa razão, é importante falar sobre nossos sentimentos e emoções, ao invés de explodir e acabar com a nossa saúde familiar.

antes de terminar gostaria de partilhar Três chaves para melhorar o clima emocional no lar, e deixares de dizer, ela ou ele roubou meu parceiro ou parceira (destruiu meu lar)

compartilho algumas dicas para melhorar o clima emocional em casa e não sair de sintonia com tanta facilidade.

1- Reflita e desafie a si mesmo

Você é capaz de comportar-se com a sua família como se o seu vizinho estivesse presente? Vai dizer para sua família algo que seu vizinho não pode ouvir?

Como dissemos anteriormente, é uma prova difícil. Os especialistas recomendam utilizar o “teste do vizinho” pelo menos uma vez por semana, para restaurar o equilíbrio emocional do seu lar.

2- Observe suas expressões e como demonstra afeto.

Todos nós precisamos de carinho e afeto. O estresse e a rotina diária nos fazem agir com dureza com os nossos entes queridos e isso compromete a confiança e o aconchego do lar.

3- A prioridade é o bem-estar geral e individual

Em um lar, todos cuidam de todos. Muitas vezes priorizamos nossos interesses, sem perceber que estamos sendo egoístas. É importante compartilhar os momentos e ajudar os demais. Quando o outro percebe seu interesse, se sente reconfortado e o clima emocional se equilibra.

Um lar é a construção mais importante da nossa vida.

Cuide dele.

Como sugestão aos casais, que tenham alinhamento em termos de objectivos do relacionamento,no sentido de promoverem saúde emocional e física mútua,e que não sejam estraga lar.

Sobre o autor

Gelson Daniel editor

NCPublicado em9:34 pm - Jun 7, 2020

Esta abordagem é muito abrangente.
Dois factores concorrem para esta termologia se empregue hoje em dia.
1- As mulheres modernas só se preocupsm com a formação e autoafirmação profissional.
2-Vicios ou simplesmente leviandade.

Ana nguevePublicado em2:36 pm - Jun 8, 2020

Muitas vezes nos preocupamos muito com a mudança do parceiro esquecendo -nos que a mudança do parceiro não depende de nós. Mas a mudança do nosso comportamento depende a 100% de nós. A mudança do parceiro será consequência.

Deixar uma resposta