Quintas-Icra – Homengea – XXVIII EDIÇÃO – PROFESSOR JÚLIO MENDES LOPES

PorGelson Daniel

Quintas-Icra – Homengea – XXVIII EDIÇÃO – PROFESSOR JÚLIO MENDES LOPES

Quintas-Icra – Homenagens – XXVIII EDIÇÃO – PROFESSOR JÚLIO MENDES LOPES – HISTÓRIA UNIVERSAL

DA COMUNICAÇÃO SOCIAL, AO ICRA EDUCADORES SOCIAIS

“Mas eis a hora de partir: eu para morte, vós para a vida. Quem de nós segue o melhor rumo ninguém o sabe, excepto os deuses” (Sócrates)

Texto (Professor: Bruno Julio Kambundo Kambundo)

Fui convidado pela Organização do espaço Quintas-Icra – Homenagens-ICRA na pessoa de Sousa Orlando Dos Santos, jovem por quem nutro muito respeito e admiração, para escrever algumas linhas de uma pessoa que enfim… que desafio Sousa… faltam-me palavras podes crer. Falar de Júlio Mendes Lopes (de feliz memória) Jornalista e professor de profissão enquanto esteve na nossa companhia, não é nada fácil, pois acho não ser digno de falar da grandeza humana e científica deste homem que considero e sempre o considerarei como um pai para mim, diante da minha pequenez. Apesar disto sinto-me honrado pela escolha, embora acho que pessoas como professor Isaac Rebelo Kapeio Isaac, professor Victor Kajibanga e outros, teriam feito melhor do que eu.

O Professor Júlio é um indivíduo que como sabem, natural do Kwanza Sul (Veja Sousa), onde fez parte do seu percurso académico e que em Luanda teve provavelmente o seu auge, pois foi ali onde se firmou como um indivíduo culto e detentor de uma capacidade quer de leitura e conhecimento nada normal para um jovem como muitos que consigo coabitaram. Sousa, até agora estas voltas introdutórias servem apenas para dizer que nem sei por onde começar, pois são muitas as histórias bonitas que tenho e passei com o Júlio Mendes. Começarei por falar um pouco da relação que sempre tivemos que fez com que muitas pessoas me considerassem seu filho, talvez pela proximidade, outros mesmos achavam que eu era uma cópia do Júlio imprensa em Luanda, era assim que à Manuela me chamava e algumas vezes me chama de filho do…. Conheci o JML , em 2002, quando por razões alheias a minha vontade, abandonei o Curso de Direito da Faculdade de Direito da UAN, depois de um mau entendido com um professor e decidi ir fazer História no ISCED/LUANDA, e nesta altura rapidamente fiquei conhecido porque havia tido a maior nota no exame de admissão e apresentado pelo amigo e irmão João da Cunha Lourenço, lembro-me das primeiras palavras que me disse, e nunca me esquecerei, “Bruno, seja bem-vindo ao Rubicão só precisas atravessar mas para tal terás de comer muitos livros…” Talvez o Júlio não soubesse naquela altura que eu já era coleccionador de livros. Na época, ter o Prof. Júlio por perto era um orgulho para todo e qualquer aluno do Curso de História, pois a par do Lourenço eram as grandes promessas do Curso e os professores todos falavam deles. Hoje quando paro para pensar fico a imaginar o que poderíamos juntos fazer: “Júlio, Lourenço e Bruno”, um dos elementos que nos uni foi o facto de os três ( 3 ) termos sido orientados pelo Professor Boubakar Namory Keita e que de alguma forma continua sendo o nosso grande Mestre, o Boubakar puxou o Júlio Mendes , e eu fui puxado para o ISCED pelo Júlio Mendes Lopes e pela professora Ana Luzia Lobo .
O Júlio era tão humano que se preocupava muito com as pessoas e em algumas vezes acabava deixando- se para atrás. O Júlio em 2003, quando soube que eu coleccionava livros não me deixava descansar, sempre que me visse vinha querendo falar de um livro novo e eu para mostrar que também li, não podia deixar de lhe acompanhar os colegas já me chamavam de velho (??????). Não posso ficar sem dizer que parte do que sou hoje tem 80% da mão do Júlio Mendes, ele mesmo me levou a leccionar no CEFOJOR (EU BEM PEQUENO) ?????? no IMEL , no IMNE 22 até chegar ao ICRA (onde durante cerca de 13 anos 2005-2018) tive muito prazer em trabalhar. O Júlio desde cedo foi um tipo talhado para pesquisa e muitas vezes a sua capacidade de conhecimentos deixava as pessoas boquiabertas, homem simples, bastante humilde e amigo dos seus amigos; Lembro de ter estado um pouco por perto do sofrimento do Júlio Mendes na última fase da sua vida,… sei que os homens bons vão, mas o seu legado fica sempre e hoje reconheço que poderíamos ter feito mais do que aquilo que foi feito. Em meu nome pessoal e de todos quanto puderam estar com Júlio partilhando bons e maus momentos o nosso muito obrigado por esta oportunidade singela em homenagear uma figura que alcança o espaço digital e que se transforma todos os dias em inspiração para todos e cada um de nós. Sei que poderei não ter cumprido com o vosso intento, mais aceitem desde já as minhas mais sinceras desculpas, não tenho mais força para prosseguir. Um forte abraço!

Quintas-Icra – Homenagens – A gratidão é toda nossa querido Professor Bruno Julio Kambundo Kambundo por ter aceite o desafio, sabemos que o encerramento foi com lágrimas, mas é com sorrisos e alegria, que queremos “Quintar-com-JML”, como muito bem o tratou no seu texto.

Eis o convite, vamos homenagear àquele que esteve na base do do ICRA bem como dos Estágios Curriculares Icra que hoje comporta (à par do Curso de Educadores Sociais) o de Comunicação Social, e o nosso homenageado foi isso mesmo.

Gelson Daniel, Miguel Cariongo, Víctor Capolo e Sousa Orlando Dos Santos podem já bumbar nas cenas da Página Quintas-Icra – Homenagens, Prof. Ondino Freire, Wagner Bulica, Emilia Lima certamente têm algo a dizer, tal como Monda Watembo, Roque Umbar, Hama Ndulo, Amor Monteiro Monteiro, Hamilton Quipinga Sabalo, Almeida José Inácio Inácio, Gizela Nogueira da ANC, Gildo Castro, Gelson De Oliveira MA, Lorivaldo Fernandes, Adérito Loure-Ma Ackbaar, Neusa Margareth Manuel, Balduino Franco Almeida, Gideao Freitas Ferramenta, Mariano Kambambi Kambambi, Leal Mundunde, Manos José Dias Mateus e Adão Morais Iango, Deolinda Vondo.

VAMOS SÓ QUINTAR EM MAIS UMA Quintas-Icra – Homenagens ENTRE GERAÇÕES!

Sobre o autor

Gelson Daniel editor

Deixar uma resposta