Transtorno de ansiedade por separação

PorSara Paiva

Transtorno de ansiedade por separação

O transtorno de ansiedade por separação é comum no desenvolvimento da criança. Se por algum motivo suspeitar que o seu filho sofre desse transtorno, deve consultar um especialista para que este lhe dê as instruções mais adequadas, e nunca tente tratar desse problema sozinho.

Por norma, este transtorno aparece nos bebés entre os oito e os doze meses de idade. Algumas vezes este transtorno pode desaparecer aos 24 meses, aproximadamente. Durante a escola primária e na fase adolescente, algumas crianças apresentam os sintomas deste transtorno.

Sintomas relevantes do Transtorno de Ansiedade por Separação:

Os sintomas do transtorno de ansiedade por separação podem-se produzir quando uma criança tem medo de ser afastada, ou até mesmo quando é afastada dos pais.

Deve prestar atenção a estes sintomas:

  • Baixo rendimento na escola.
  • Falta de vontade em ir à escola.
  • Dores de cabeça
  • Vómitos
  • Birras constantes ou comportamento violento.
  • Um apego muito forte aos pais.
  • Não querem dormir sozinhas.
  • Choram bastante.
  • Recusam fazer qualquer coisa que implique um afastamento.
  • Sonhos perturbadores.
  • Não conseguem interagir saudavelmente com outras crianças.

Factores de risco

Os seguintes factores aumentam a probabilidade de uma criança vir a sofrer deste transtorno:

  • Nível sócio-económico baixo.
  • Timidez
  • Depressão ou ansiedade na família
  • Interacção com os pais inadequada
  • Problemas com outras crianças
  • Pais superprotetores
 Quando existem mudanças na vida de uma criança tais como, escolas de intercâmbio, divórcio dos pais, mudança para uma casa nova, ou morte de algum familiar ou amigo próximo, pode desencadear o transtorno de ansiedade por separaçãor.

Como pode ser diagnosticado

Se o seu filho apresentar mais do que três sintomas, a probabilidade de que ele sofra deste transtorno é muito alta.

Neste caso, é essencial procurar ajuda.

  • A terapia é o tratamento mais eficaz.
  • Ou então, pode optar pela terapia de interacção entre pais e filhos.

Para os pais:

  1. Interacção directa com os pais

Numa primeira fase de interacção directa com os pais, pretende-se educar os pais perante o porquê do seu filho se sentir ansioso. Para tal, desenvolve-se uma escala de valores para que consiga mostrar as situações que podem provocar sentimentos de ansiedade e estabelecer modos de recompensa em relação às reacções positivas

Numa fase de interacção directa com a criança, o terapeuta pretende melhorar o relacionamento entre as partes.

Tenha ainda atenção ao ambiente escolar dos seus filhos. Este deve ser um lugar em que o seu filho se sinta seguro quando está a sentir ansiedade, e deve sempre ter como se comunicar, dentro e fora da escola.

Transtorno de ansiedade

Poderão ser receitados antidepressivos para crianças com este problema, mas ainda não existe um medicamento específico para o tratamento deste transtorno.

Efeitos no ambiente familiar

A vida familiar pode ser afectada de várias formas. As actividades familiares ficam comprometidas seriamente. Pais que não disponham de tempo para os filhos podem causar-lhes frustrações. É também comum que irmãos de crianças com o transtorno sintam ciúmes, pois há uma tendência a dar mais atenção ao menino “doente”.

Este transtorno apenas poderá ser diagnosticado numa criança por um especialista. Por isso não deixe de consultar um caso suspeite de alguma coisa fora do normal.

Sobre o autor

Sara Paiva editor

Deixar uma resposta