Transtorno de personalidade limítrofe: como agir

PorSara Paiva

Transtorno de personalidade limítrofe: como agir

O transtorno de personalidade limítrofe pode trazer muitas dificuldades para os casais. Não querendo dizer que não seja possível manter uma relação, é necessário ter em conta alguns aspectos para que essa pessoa se mantenha saudável e avance da melhor forma, tendo bem presente que para ajudar o nosso parceiro não significa que o vamos mudar.

Devemos ter ainda em conta que podendo sempre procurar ajuda de um profissional qualificado para nos ajudar a conviver com esse transtorno, e ajudar essa pessoa a ultrapassar as situações mais difíceis.

No entanto, temos que ter consciência que isto é para a vida toda. Existem momentos de recaídas, mas também haverão momentos calmos, que quase podemos esquecer que esse problema existe.

Condutas erradas: Como agir?

Temos sempre de ter em mente que estamos perante indivíduos com um pensamento polarizado e uma instabilidade emocional. Ameaçar romper o relacionamento e voltar quando a outra pessoa prometer que vai mudar, ou ameaçar abandonar sem cumprir, pode aumentar a instabilidade emocional do TLP.

O maior objectivo é proteger o parceiro, mesmo sabendo que não é propriamente fácil conviver com alguém que tem transtorno de personalidade. Devemos sempre procurar que os sintomas não continuem, que possam ser detidos.

Para que consigam “dominar” o vosso parceiro, têm que ser fieis aos vossos valores e crenças, não podendo permitir que o vosso parceiro faça tudo com a desculpa que sofre do transtorno de personalidade limítrofe.

Dizer não, sem culpa, e sem medo, é uma das coisas que a maior parte das pessoas têm que saber realizar para conseguirem ajudar o parceiro. É fundamental estabelecer uma linha limite, linha essa que em qualquer momento deve ser ultrapassada, nem tão pouco se deve justificar a forma de agir da pessoa.

Transtorno de personalidadeAmeaças

Quando o TLP falha, é necessário falar sobre essa falha e encontrar uma solução para tal. Não é recorrendo a ameaças quando se está irritado que irá resolver seja o que for, aliás, só irá piorar a situação e aumentar a sua instabilidade emocional.

No entanto, uma das formas de apaziguar a situação é continuar a ser como é perante o seu parceiro, sem enganar, mentir ou desafiar, lembrando-se que as emoções do seu parceiro podem estar fora de controlo.

Será um caminho duro de ultrapassar, com algumas angústias e tristezas, mas se estiver disposto a ficar com o seu parceiro, tem que ter consciência de tudo o que foi falado anteriormente e provavelmente tudo poderá correr pelo melhor.

Sobre o autor

Sara Paiva editor

Deixar uma resposta